12 de maio de 2017

Sindicatos de São José e região organizam caravanas para #Ocupa Brasília

12/5/2017 - Com a definição pelas centrais sindicais brasileiras da data de realização de uma grande Marcha a Brasília no próximo dia 24 de maio, sindicatos da região já se organizam para enviar caravanas para a manifestação que promete levar milhares de pessoas à capital federal.

Dezenas de ônibus deverão sair da região. Em reunião do Fórum de Lutas do Vale do Paraíba, as entidades que organizaram a Greve Geral de 28/4 planejam enviar ônibus para o ato nacional, com trabalhadores de várias categorias, como metalúrgicos, químicos, alimentação, Correios, petroleiros, condutores, aposentados, entre outros.

O Sindicato dos Metalúrgicos, por exemplo, já abriu inscrições. Os trabalhadores interessados devem entrar em contato pelo telefone 3946-5311 para reservar a vaga. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por trabalhadores, estudantes, donas de casa, aposentados e desempregados.

Tomar Brasília com milhares de manifestantes
A rejeição à reforma da Previdência é geral. Mesmo com a campanha publicitária do governo enaltecendo a proposta na TV e no rádio, com apoio escancarado da maioria dos meios de comunicação, 66% da população é contra, segundo a pesquisa DataPoder360.  A reforma trabalhista é reprovada por 62% dos entrevistados.

Os brasileiros que se mostram mais contrários a mudanças na aposentadoria e nas regras de contratação de trabalhadores são os que estão na faixa dos 25 aos 44 anos. Em ambos os casos, 72% reprovam essas duas reformas.

O DataPoder360 perguntou se os entrevistados fariam greve ou participariam de protestos caso as reformas do governo fossem aprovadas da forma que foram apresentadas. As respostas positivas foram 41%. Entre os mais jovens (de 16 a 24 anos), a intenção de aderir a esses atos é de 55%. Um índice considerado alto pelo instituto de pesquisa.

O governo Temer sentiu o baque da Greve Geral de 28/4 e já mostrou que tem pressa para aprovar as medidas antes que seja derrotado pela mobilização dos trabalhadores e do povo. A peso de ouro, está comprando os deputados picaretas e corruptos para que aprovem as reformas, apesar de toda a rejeição popular.

Por isso, o momento é decisivo. Não podemos aceitar nenhuma redução de direitos através de remendos nas reformas. É preciso barrar as reformas na íntegra.

Vamos tomar Brasília com milhares de manifestantes e por aquela corja que está no governo e no Congresso para correr. E não podemos dar folego ao governo.

Em seguida à manifestação no Distrito Federal, nos somamos ao chamado que está sendo feito pela CSP-Conlutas de que é preciso marcar uma nova Greve Geral, agora de 48 horas, para deixar esses picaretas sem saída, a não ser retirar as reformas da pauta do Congresso.